“Tu passa nove meses naquela questão de te preparar psicologicamente, fisicamente. Tu respira tudo maternidade, tudo criança. E quando ela nasce tu te pergunta: e minha identidade? Quem eu sou? Que que eu vou fazer? E agora? Acho que tô muito nesse processo de me perguntar quem eu sou."

Carla Bianca (21), engravidou da Ísis (3) aos 17. Elas moram no bairro Vila Embratel, em São Luís, junto com os pais e duas irmãs mais novas da Carla, de nove e 1 ano e meio, respectivamente.

Durante a pandemia, com as creches fechadas e a filha em casa, Carla se divide em realizar atividades EAD da faculdade de Direito, os cuidados com a filha e as irmãs, dividindo as horas que sobram também com a produção do brechó online que ela administra.

“Faz 8 meses que estou dentro da Umbanda. Foi muito importante pra me fortalecer, pra me redescobrir na minha essência do ser mulher. Fui aprendendo um pouco mais com as mulheres do meu sagrado, com as Yabás, com as pombas giras, com as cablocas. Isso acabou de certa forma me tornando uma pessoa mais forte, independente.

Dia de Cosme e Damião. 27 de set, 2020.

"Ísis crescer dentro da religião, ela aprende sobre solidariedade, sobre amor, sobre afeto, sobre companheirismo e sobre ser luz na vida das pessoas. É o que a gente prega, é o que a gente se dispõe a fazer."

00:00 / 00:31

Aniversário da Ísis de 3 anos. 18 de nov, 2020.

"Tem maternidade que você é solo, mas tem com quem contar, tem rede de apoio, financeiro e familiar que você pode ainda se concentrar em você. E tem a minha maternidade que é igual o de várias mulheres, que é aquela de se preocupar todo tempo com responsabilidades. Dentro da pandemia eu me preocupei , tive crises de ansiedade, de depressão, porque você se sente muito cobrada, muito exausta, e você também quer ter seus feitos né. Na pandemia me senti muito sufocada."

00:00 / 01:00
NGD-82420-201116-21.jpg

Por Ingrid Barros, com fotografias de arquivo e áudios pela Carla Bianca

Vila Embratel, São Luis, Maranhão, 2020.

  • Instagram